Dicas

Nutrição

10 Dicas para Iniciar um Programa de Reeducação Alimentar

1. Pratique atividade física regularmente.
Além de aumentar o gasto energético e favorecer o emagrecimento, os exercícios estimulam a produção de endorfinas, substâncias que garantem o bem-estar.
2. Gaste mais energia no dia a dia.
Fique menos tempo diante da TV, evite elevadores e escadas rolantes quando tiver de subir ou descer poucos andares, prefira caminhadas a utilizar o carro para pequenas distâncias. Tudo isso ajuda a perder peso e traz disposição.
3. Não pule refeições.
Alimente-se a cada 4 horas a fim de ter energia para suas atividades diárias. Pular lanches intermediários faz com que tenhamos mais fome nas refeições principais
4. Evite consumir grandes quantidades às refeições.
Ingerir grandes volumes de uma vez dá muito trabalho ao trato gastrointestinal. Ficamos letárgicos e sem a menor fome para os lanches intermediários. O ideal é comer pouco, porém de quatro ou cinco vezes ao dia.
5. Não siga dietas da moda que restrinjam grupos de alimentos.
Todos os grupos de alimentos devem estar presentes no cardápio para garantir a saúde e a manutenção do peso adequado. Vale lembrar que é difícil seguir uma dieta restritiva por muito tempo.
6. Aumente o consumo de fibras
Verduras, legumes, frutas, grãos e cereais integrais garantem um bom aporte de fibras, essenciais para garantir a saciedade e o bom funcionamento do intestino.
7. Prefira os carboidratos integrais
Alimentos refinados como farinha branca, açúcar e massas são logo digeridos e aumentam muito a secreção de insulina. Isso faz com que a energia seja rapidamente disponibilizada e, de certa forma, estocada nas reservas de gordura. Carboidratos integrais garantem um melhor aproveitamento da energia.
8. Monte pratos coloridos.
Muitos pigmentos dos alimentos indicam quais nutrientes eles possuem e a variedade de cores garante a diversidade de vitaminas, que são essenciais para garantir as funções do metabolismo e a disposição.
9. Cuidado com o excesso de sal.
Além de aumentar o risco cardiovascular, o alto consumo de sódio (sal de cozinha e alimentos salgados e processados) favorece a retenção de líquidos.
10. Mantenha um diário alimentar.
O hábito de escrever a alimentação do dia é um bom instrumento para automonitoração. Perceber o que e o quanto come é fundamental para corrigir possíveis erros alimentares.

5 Dicas para Controlar a Compulsão Alimentar

1. Respeitar horários.
Procure fazer 5 refeições por dia. Café da manhã, almoço, jantar e lanches intermediários favorecem uma melhor sensação de saciedade e minimizam o risco de um episódio de compulsão alimentar.
2. Não fazer outras atividades enquanto come.
O ideal é fazer as refeições à mesa. Evite comer na frente da TV ou trabalhando na frente do computador. Assim fica mais fácil perceber o que se está comendo e quanto.
3. Anotar diariamente tudo o que se come.
O diário alimentar é uma boa estratégia para aumentar a percepção com relação às escolhas alimentares. Muitos estudos indicam que a adesão e o comprometimento com a dieta é maior quando se adota esse hábito.
4. Não levar à mesa baixelas, travessas ou panelas com os alimentos.
Com os alimentos à vista a chance de repetir e beliscar é muito maior. Prato feito favorece um maior controle.
5. Manter os alimentos “perigosos” fora do alcance. Exponha apenas os saudáveis.
É muito difícil resistir a uma despensa recheada de guloseimas. Inclua nas compras da casa alimentos saudáveis e pouco calóricos como iogurtes, queijos magros, cereais integrais e frutas.

10 Dicas para o Cuidado da Obesidade Infantil

1. Tratar o mais precocemente possível.
As consequências do excesso de peso já aparecem na infância, portanto, o tratamento deve se iniciar assim que for feito o diagnóstico.
2. Os pais devem ser modelos de uma alimentação saudável.
O hábito alimentar da criança é, na grande maioria das vezes, um reflexo do hábito alimentar dos pais. Uma criança só consumirá verduras, legumes e frutas se os pais também o fizerem.
3. As mudanças serão extensivas a toda a família.
Mesmo que os irmãos ou os pais sejam magros, todos devem seguir a orientação de uma dieta saudável e balanceada. As orientações trarão vantagens para a saúde da família inteira.
4. As receitas deverão ser ajustadas para que tenham menos gordura.
Em casa que tem criança é comum haver preparações à milanesa, bolinhos fritos e sobremesas gordurosas. No dia a dia convém dar preferência aos pratos assados, grelhados e cozidos, aos legumes refogados e às sobremesas mais leves.
5. Estimular o consumo de verduras e legumes.
Para as crianças seletivas, é fundamental que se trace uma estratégia a fim de aumentar a variedade de alimentos consumidos na dieta, especialmente frutas, verduras e legumes.
6. Estimular a ingestão de leite.
O consumo de refrigerante vem aumentando à medida que o hábito de tomar leite vem diminuindo. O leite é fundamental para garantir a saúde óssea e não pode estar de fora da alimentação infantil.
7. Estabelecer frequência e quantidade adequadas para extravagâncias.
Guloseimas serão permitidas, mas é bom estabelecer uma regrinha com relação a quanto e quando. Podemos, por exemplo, liberar numa festinha de aniversário, mas controlar um pouquinho no fim de semana subsequente.
8. Ajustar o lanche da escola.
O lanche pode ser muito saudável e gostoso se levado de casa. Uma boa ideia é estabelecer uma frequência semanal para compras na cantina.
9. Fazer mais exercícios.
Para o tratamento da obesidade infantil é fundamental a prática de exercícios físicos bem orientados e adequados à faixa etária.
10. Não se esquecer das fibras.
As fibras dão mais saciedade e auxiliam muito na adesão à dieta.

5 Dicas para as Festas Juninas

1. Cuidado com a quantidade. Os alimentos comuns nas celebrações juninas são geralmente muito calóricos.
2. Lembre-se que a comida não é o atrativo principal da festa.
A companhia, os jogos e brincadeiras também fazem parte da diversão. Procure diminuir o tamanho das porções. Vale a pena dividir os quitutes com alguém para experimentar vários tipos de guloseimas sem comprometer a dieta.
3. Não vá para festa com muita fome.
Fica difícil controlar a quantidade se estivermos muito tempo sem nos alimentar. Excepcionalmente, os petiscos podem substituir uma refeição principal. Vale a pena fazer um lanchinho intermediário, por exemplo, à base de fruta e iogurte.
4. Cuidado com quentão e vinho quente.
O álcool também apresenta muitas calorias e deve ser ingerido com bastante moderação. Especialmente nessas receitas que ainda levam açúcar.
5. Caso venha a exagerar na festa, retome o controle alimentar nas refeições seguintes. Não vale ficar em jejum para compensar, da mesma forma que não vale passar o mês inteiro comendo coisas calóricas e engordativas só porque “o estrago já foi feito”. Aproveite a festa, escolha os alimentos que mais aprecia, lembrando que moderação é a palavra de ordem na reeducação alimentar.

5 Dicas para a Páscoa

1. Aproveite o feriado da Semana Santa para se movimentar. Programe uma caminhada ou um passeio de bicicleta
2. Cuidado com o excesso de chocolate. Divida os ovos em porções de 50g para comer um pouquinho por dia.
3. Combine com as crianças outras opções para presentear. Um coelho de pelúcia ou qualquer lembrancinha temática que não contenha chocolate podem diluir as calorias.
4. Cuidado para não cometer muitas extravagâncias de uma vez: prato calórico + bebida alcoólica + chocolate perfazem muitas calorias. Controle as quantidades.
5. Não passe o mês todo comendo chocolate só porque é o mês da Páscoa.

5 Dicas para quem tem Acne

1. Cuidado com o chocolate.
Não há comprovação científica de que esse alimento aumente a acne, como se costuma dizer. No entanto, a recomendação é evitar o consumo se observar que piora o quadro.
2. Aumente a variedade e a quantidade dos vegetais na dieta.
Os vegetais são fontes de antioxidantes e alguns estudos apontam que o combate ao estresse oxidativo pode ser uma ferramenta de combate à acne. O consumo variado de vegetais garante o aporte adequado de antioxidantes como o licopeno, o betacaroteno e a vitamina C. As folhas verde-escuras (espinafre, agrião) e os vegetais e frutas amarelo-alaranjados (cenoura, abóbora, mamão) são fontes de betacaroteno, um precursor da Vitamina A, que no organismo, desempenha um papel importante para a integridade da pele. O tomate fornece licopeno e as frutas cítricas (laranja, limão) são ricas em vitamina C.
3. Consuma castanhas e nozes com moderação.
As frutas oleaginosas (nozes, castanha do Pará, amêndoa, avelã) são fontes de zinco e selênio. O zinco é fundamental no processo de cicatrização e o selênio é um importante antioxidante. Mas por terem alto teor de gordura, o consumo deve ser moderado. Uma única castanha do Pará por dia é capaz de suprir toda a necessidade de zinco e selênio.
4. Coma peixe.
Os ácidos graxos ômega-3, encontrados em peixes marinhos e na semente de linhaça, são gorduras poli-insaturadas ou PUFAS. Vários estudos têm associado o consumo de PUFAs a uma melhor resposta imune. Como diminuem a produção de substâncias pró-inflamatórias, eles têm sido recomendados para melhorar a aparência da pele acnéica.
5. Cuidado com o açúcar.
Estudos apontam que os açúcares simples podem favorecer a acne por interferir na secreção de insulina que, por sua vez, altera a produção de outros hormônios capazes de intensificar as espinhas. Uma dieta de baixo índice glicêmico, ou seja, que não leve a uma intensa elevação da glicemia, pode ser benéfica para o controle da acne, se for fracionada e equilibrada. Portanto, evite alimentos de alto índice glicêmico, como doces, pão branco, melancia, sucos em geral, batata. Prefira os de baixo índice glicêmico: pão integral, feijão, carne, ovo, peixe, leite, queijo.

Saúde

10 Dicas sobre Diabetes e Cuidados com os Pés

  1. Examine seus pés diariamente.
  2. Lave os pés pelo menos duas vezes ao dia e seque cuidadosamente, sobretudo entre os dedos. Se a pele estiver ressecada, pode usar creme, mas não entre os dedos.
  3. Evite andar descalço dentro ou fora de casa
  4. Na praia, passe PROTETOR SOLAR, INCLUSIVE NOS PÉS. Jamais pise na areia quente.
  5. Use meias de algodão, sem costura e sem elástico. Lembre-se de trocá-las diariamente.
  6. Não use sapatos sem meia.
  7. Corte as unhas retas e não muito rentes, sem cutucar os cantos. Não corte calos.Use tesoura de ponta arredondada. Antes de cortar as unhas, lave e seque bem seus pés.
  8. Não utilize bolsas de água quente para aquecer os pés.
  9. Avise o médico se notar a presença de bolha, corte, arranhão ou ferida.
  10. Escolha seus sapatos com critério. Eles precisam ser confortáveis para dar segurança ao caminhar. Os mais adequados são os fechados, de couro macio e numeração correta. Não use sapatos de plástico ou couro sintético, pois aumentam a transpiração. As mulheres devem evitar os modelos de bico fino e salto alto. Os melhores são os saltos quadrados, de 2 a 3cm de altura. Chinelos de dedo ou tiras são desaconselhados. Há lojas especializadas em calçados para diabéticos. Informe-se a respeito.

5 Dicas sobre Diabetes e Higiene Oral
O diabetes favorece o aparecimento de cáries e de placas bacterianas na superfície dos dentes e na gengiva, que provocam sangramentos e, em casos graves, podem levar à perda dos dentes. Para afastar esse risco:

  1. Faça uma boa escovação, utilizando o fio dental após as refeições.
  2. Vá ao dentista a cada seis meses para limpeza e remoção do tártaro.
  3. Mantenha os níveis glicêmicos adequados
  4. Cirurgias e extrações podem ser feitas se os níveis de glicemia estiverem abaixo de 200 mg/dl. Índices mais altos dificultam a cicatrização e o restabelecimento dos tecidos, além de favorecer infecções. Por isso o controle das taxas de açúcar é essencial antes, durante e após o procedimento.
  5. Próteses devem ser bem adaptadas. O ajuste inadequado pode irritar os tecidos da boca e causar doenças. Avise seu dentista caso observe qualquer desconforto.